terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Diz quem me conhece bem, que eu tenho uma tendência gótica para me enfiar de cabeça para baixo, num poço sem fundo, quando as coisas não me correm de feição.
É verdade.
É verdade e eu gostava que não fosse.
Mas que fazer? Sou pessoa com poucas qualidades, aliás, não tenho grande coisa que me recomende, mesmo.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

O que é que tem de bom o IPad

Tem uma coisa, que é vir associado à minha imensa trenguice e por via disso, não acumulo nele imagens e mais imagens, algumas, a grande maioria até, representativas da minha faceta consumista e principalmente invejosa,
Ao contrário, neste objecto obsoleto que é o computador portátil, é só merdas.
E hoje, em busca duma determinada imagem, a da Mãe Natal, que já adicionei ali em cima, encontrei tralha que nunca mais acaba.
Ele é de tudo. De tudo, mesmo.
Vai daí, e como tenho uns quinze minutos para dedicar à estupidez, decidi fazer um best off de coisas que eu queria e ainda quero e que foi-se a ver e nunca me deram.

Cá vai disto, então:


 Uma cena destas. Tenho um quarto de casal. Só. Como fazer a magia acontecer? hum? Portanto, um quarto de casal, e espetar lá com uma coisa destas. 
Pois. 





Um bolo assim.
Numa coisa destas.
Todo luzidio e tudo. 
(suspiro)

Um escritório todo cheio de prateleiras, a desencantar dum qualquer canto lá de minha casa.
Mais uma vez, como fazer a magia acontecer?

Este apartamento, na Foz do Douro.
Pedi como prenda do dia da mãe, no ano passado, mas não me deram e eu nunca entendi porquê.






Esta coisa tão fofa que vi na Net, mas nunca soube se e onde se vende na vida real.


Esta mala tão gira e tão cara


Esta agenda que se vai a ver e são doze livrinhos, muito giros, um por mês, da Moleskine, para conduzir com os meus cadernos...



Um verniz que nem é desta estação


 Um porta moedas novo e podia ser este.


Umas canetas BIC de luxo.


E por fim,

Depois disto, posso fazer delete desta merda toda, que só está a atafulhar o meu computador.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

e pronto, está a chegar o Natal.
e com ele, a merda toda, em que há dois anos se transformou o Natal...
olho para a miúda toda empolgada com as árvores de natal e até me dá pena.
o mais velho, fruto da consciência, nem quer ouvir falar em enfeites e presépios.
eu também não.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

independentemente do facto de, pelos vistos, uma pessoa (só uma? jura? a sério? só uma?) me querer fazer a folha, limpando-me o sebo, eu estou muito contente, ai que contente!
temperaturas abaixo de 20 graus.
atéquimfim, foda-se!

pessoa que me quer dar uma facada:

pá, tratares-me por tu, era coisa, assim,sem mais, para eu afinar e ficar mesmo muito aborrecida. juro.
agora dizeres que me dás uma facada, dentro do tribunal e em frente ao funcionário de justiça, isso é mesmo de burro, men.

o que me lixou foi o gajo tratar-me por tu

é que toda a gente sabe que tenho muito mau feitio.
e a cena da facada também é um bocado esquiza...
não queres que acredite, pois não?
ai uma facada!
mas quê, na barriga, tipo como nos filme, é isso?

pfff

o quê, queres ver que é desta?

"com esse feitio ainda levas uma facada"

uicamedo... huuuuuuu...

terça-feira, 18 de outubro de 2011

e eu que estou mais gorda tres quilos, hán?
aqui todos muito bem alapadinhos.... nas minhas coxas... hum?!
cabrões.
o problema é o seguinte: a crise e tal e mais a vida e a mim dá-me vontade de comer.
e quando me dá vontade de comer, eu como.
esse é que é o problema.
por exemplo, eu tenho vontade de escrever aqui no coiso. o que é que eu faço? como estou a meio dum dia de trabalho e sou uma mulher terrivelmente responsável, vou refrear a minha vontade com dois copos de água e só escrevo logo à noite e agendo para ser publicado no dia seguinte, não é?
tá errado. eu nem sei agendar, acho isso um must, mas não sei fazer.
na verdade, eu sou trabalhadora indêpêndentchi e por via disso e da minha molenguice, ás vezes dá-me para não me apetecer trabalhar e em vez de coçar os tomates que (ainda) não tenho, venho aqui e como tenho vontade de escrever, escrevo. e estou-me bem a cagar se me quiserem queimar viva numa fogueira, assim como assim, não sabem onde vivo...
simples.
o problema é com a comida. 
e com os cigarros. 
e com a bebida. 
não. 
tou a gozar, 
com a bebida não tenho problema. 
ainda.
eu tenho vontade de comer e como, não é? mas em vez de, orgulhosamente, comer à vista de toda a gente, não. como ás escondidas. é uma cena absolutamente racional, reparem. eu como és escondidas, não por qualquer impulso irracional, outrossim pela vontade pura e dura de comer, mas como fico cheia de vergonha, porque estava a ficar tão boua com a ginástica e tal e agora estou preguiçosa e não me apetece, fico inibida e por isso, como ás escondidas. 
de todos.
isto é rigorosamente verdade.
como batatas fritas de pacote de madrugada, como bolachas, até as da minha filha mais nova, tadinha, e se sobrar alguma coisa que tenha molho de natas, tanto melhor, eu vou lá, muito devagarinho, meto o prato de arroz cheio de molho, aqueço no microondas e até abro a porta do aparelho antes de acabar, que é para não fazer aquele barulho da campainha.
a sério. deplorável.
eu por mim, não contava nada disto (não que isto seja um segredo, que o meu marido já sabe há muito tempo, finge é que não sabe, porque tem medo de mim) mas eu até posso estar a pensar mal e afinal isto, na vez de ser uma cena absolutamente deprimente e vexatória, é mazé um sintoma duma doença rara, ou coisa assim.
(e aqui dispenso a piada da doença ser a obesidade, porque, convenhamos, é demasiado óbvia, ok?)

eh pa, eu até ando triste, à custa desta merda.


terça-feira, 11 de outubro de 2011

Faz amanhã 16 anos e estava assim um tempo destes...


Um calor insuportável. um verão, em Outubro, de meter medo.
Os meus pés calçavam o 40 e tu pesavas 3.250kg.

E agora cá estamos nós, não é? Não têm sido fáceis estes últimos tempos, pois não?

Nós os dois sempre de candeias ás avessas, tu a declares-me uma guerra tal, que nem as conversações ao mais alto nível, fazem prever o cessar fogo, eu a aguentar sabe deus como...

xiça, pá, tenho umas saudades tuas!

saudades do menino que eras e um medo do caraças de que te tornes um homem parecido com o adolescente que és... não gosto nada.

Ainda agora me ligou a avó, toda triste, a dizer que tu estás um bicho do buraco, que amanhã vem jantar contigo, mas que tem a sensação de que vir ou não, te dá igual. Eu acho que ela tem razão, mas não lhe digo, descansa.

Eras tão querido antes de teres esse teu metro e sei lá quanto, muito mais do que o meu metro e sessenta e três... estás tão grande...

Bem sei que não facilito a tua vida.

Bem sei que deixar-te à tua sorte, assim, sem rede nem nada, sem ordens ou indicações, sem qualquer preocupação por ti, sem exigências, deixar-te só a pizas e computador, era mesmo de rei, não era?

Mas porra, pá, eu sou tua mãe!

É suposto as mães serem umas chatas de vez em quando...

Não te esqueças é que, nos separam uns verdes 20 anos e que se não fosse a educação madura que tentei desenvolver para ti, isto era um Brasil! Forró e praia o ano inteiro e responsabilidade zero! como a tolerância que tenho contigo, no momento...

Sabes que cada um tem o seu papel e o meu é ser rigorosa.

Espero é que tenhas noção de que me partes o coração a cada resposta torta, a cada ordem não acatada, a cada ronco, a cada deixa-me!, a cada oh vai começar outra vez...

Já te fiz várias declarações do meu amor, mas até fico um bocado triste, porque isto do amor das mães nem sequer devia ser declarado, ó pá, está lá, vai fazer amanhã 16 anos que está lá, um amor que nasceu faz amanhã 16 anos e que não vai para mais lado nenhum a não ser para ti, uma coisa que nasceu quando tu nasceste, sei lá... não se explica....

e depois tu chegas a esta idade, em que a vida para ti, é só andar nela a toda a força, em duas rodas de preferência, rodeado daqueles moços que lá enfias em casa, uns mais bem educados que outros, (que eu não me esqueço do que o Gabriel escreveu no meu carro, mesmo sabendo que era meu... ) ás vezes acho que vocês em geral e tu em particular equiparam-se, em termos de cérebro, ao da tua irmã que tem dois anos... a única diferença é que vocês sabem mandar sms em velocidade furiosa e ela ainda não....

enfim...

sabes que escrevo de rajada e raramente releio o que escrevo, por isso é que grande parte do que escrevo, depois não faz sentido, mas tu vais entender, pois é?

é que nisso és igualzinho a mim, humor parvo e um bocado idiotas, não é?
 
Amanhã há carne assada e o tal bolo de chocolate. Como querias.

Pode é não haver saída no sábado à noite, ainda vou pensar, mas o que te quero dizer é: ainda que te diga que não podes sair no sábado à noite e ir ao sitio que querias ir, e chegares a casa ás tantas da manhã, ainda que isso aconteça, tens que entender que alguém tem de fazer esse papel... e em vez de me jurares ódio eterno, tenta lembrar-te daquelas alturas em que chegávamos a casa, depois de te ir buscar ao colégio ás sete da tarde, há uns anos atrás e cantávamos a plenos pulmões os dois: não tenho nada, mas tenho tenho tudo, sou pobre em ouro mas rica rica em sonhos

eu sei! eu sei! é a musica da Floribela! 
mas admite, divertia-mo-nos bem mais do que agora, com a musica do Skrillex, ou lá o que é aquilo que tu andas a ouvir...

Love,
Mãe.

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

expemplificando

uma da tarde.
desce para almoçar de boxers e t-shirt de manga caveada.
barba de dois dias, melenas revoltas e por pentear, pernas musculadas de tanta bicicleta e tronco desenvolvido à custa de musculação e mais muita bicicleta.
eu dou-lhe um calduço e mando-o tomar banho e vestir-se, que não almoça naqueles propósitos.
"heish, mãe...."
leva mais um calduço, este com mais força, para acordar prá vida e por-se em condições.
e lá vai ele para a casa de banho a cantar com aquele vozeirão que mete medo, "óoooooooo mágico pooooooortooooo, graças a deus não nasci lampiãoooooooooo"
e eu fico ali, meio parva, a pensar quando é que eu fiquei mãe dum gajo assim.


terça-feira, 30 de agosto de 2011

onde é que se lê, afinal?


daqui a pouco menos de um mês, sou mãe dum jovem de 16 anos.

e com esta frase me podia retirar e deixava a imaginação de quem lê a passear e a imaginar fotos a preto e branco de filhos crescidos e mães todas fahsion e essas coisas todas. 
mas não.
tenho de dizer mais duas ou três coisitas, sob pena de, não dizendo, me crescerem cogumelos atrás das orelhas.

eu farto-me de ler blogues e sites e crónicas e artigos de opinião e farto-me de me aperceber também, que a tralha toda que me passa pelos olhos, termina lá para os 10, 12 anos das criancinhas.

pois é. sobre adolescentes e jovens, muito pouco.

e depois, eu quero ler coisas sobre rapazes de quase 16 anos, que não sejam as previsões dramáticas do desemprego futuro, dos 30 anos a viver em casa dos pais, dos jogos de computador, do monstro facebook, das reportagens exacerbadas sobre festas com drogas e álcool em meios elitistas, da delinquência juvenil nos bairros degradados...
e nada.

se eu quero saber do aleitamento materno e dos primeiros passos das criancinhas, há milhões, milhões de escritos a esse respeito,

agora, se eu quero saber dos amores de verão, das escolhas da área cientifica, das saídas à noite, dos copos, das companhias, dos amigos prá vida, da moda juvenil de rapaz, dos desportos radicais na perspectiva das mães, das gajas que põe os nossos filhos doidos, da relação complicada entre uma mãe de 36 anos e um filho de quase 16, dos rapazes que são mais altos que as mães, da linguagem muito própria, do calão, do apetite devorador que parece que amanhã não vai haver comida, dos modos, da introspecção dos rapazes aos 16, da timidez ou excesso de confiança, da mania que sabem tudo, da musica, da musica que ouvem em casa, da musica que ouvem fora de casa, das anedotas que contam, do tipo de humor que consomem, dos filme que vêm, das conversas que têm uns com os outros, das conversas que têm com os adultos, dos paixões pelo desporto, nomeadamente pelo futebol, dos litros de perfume, da barba feita dia sim dia não, da dicotomia gilete vs máquina de barbear, do corpo de homem e cabeça de menino, das sapatilhas que cada tribo usa, as próprias variedades de tribos...

se eu quiser saber destas coisas, se eu as quiser saber contadas na primeira pessoa, relatadas por mães ou pais, vou onde, caraças?

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

PS

A imagem anterior é da net e a marca do desinfectante nada me pagou. Alias, nem é esta a marca que uso, fui só buscar num instante, uma imagem meramente representativa.
É só para que conste e para que saibam que aquela mão e principalmente a unha daquele polegar, não são da minha pessoa, tá bein?

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

e é por essas do post anterior e outras...

... que tenho destas coisas nos meus gabinetes e desinfecto-me toda várias vezes ao dia


uns dizem que sofro duma compulsão maníaca qualquer, outros compreendem-me e perguntam como é que eu me vejo metida nestes filmes...
eu só encolho os ombros.

e quando achamos que já vimos tudo - o titulo clichê mas que aqui é o unico que serve

bom, já se sentaram nas cadeiras em frente a mim os mais variados espécimes de homo sapiens.
já me fartei de falar de pessoal maluco, pessoal malcriado, pessoal deprimido, pessoal chico esperto, pessoal que me fez ter ataques de riso, pessoal que provocou em mim ataques de fúria, pessoal que eu convidei a sair e pessoal que nunca mais deixei entrar.
mas ontem... bom, ontem sentou-se um pessoal medonho nas cadeiras em frente a mim.
a cliente é antiga, mas é uma rapariga nova. já lhe conheci um cento de companheiros, mas quanto a isso, nada!
nisto, aparece-me, para uma conferência previamente marcada, de namorado novo ás costas.
o gajo todo mal enjorcado, meio porco, até.
um ar de enfado que parecia que ía rebentar.
deitava-lhe um olhar de soslaio de vez em quando, só para apreciar o ar dele e ele sempre a revirar os olhos, a bufar de cada vez que eu começava uma frase... o rapaz estava decididamente muito contrariado por ali estar.
e depois aconteceu...

vi-o remexer numa mala que trazia a tiracolo.
retirou de lá de dentro qualquer coisa.
e eu comecei a ouvir: click ... clik ... clik ....


pah, o gajo estava a cortar as unhas!

vejo-me grega para cantar a par com ela, mas é muito espectacular





sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Luisinha, como é que o teu primo te chama?
"co a bóca"


isto nas férias foi uma coisa por demais!


a minha filha veio a falar pelos cotovelos e nós entendemos a maior parte do que ela diz.
espectacular!
entretanto, o meu filho, teve cerca de dez amores de verão.
muito espectacular!
já lhe disse que não quero noras. enquanto ele andar a saltar duma para outra, a minha alma não se maça.


entretanto...

... já passei quatro horas, QUA-TRO HO-RAS, do meu dia de ontem, no hair stylist.
gosto desta coisa moderna que chamam aos cabeleireiros, para depois cobrarem mais duma centena de euros por fazer do cabelo duma gaija, uma coisa em condições.

Entretanto, no meio daquelas quatro horas em que me fizeram umas madeixas californianas, me cortaram as melenas e me pentearam com ondas à artista de cinema, adormeci na cadeira em que se lava o cabelo e acho que fiz figuras muito tristes. não tenho a certeza, mas o rapaz que me esteve duas horas a tirar as pratas olhava para mim e esboçava aqueles sorrisos de quem está a abanar a cabeça negativamente...

 hoje vou alapar-me na cadeira da manicure e pedicure.


mais de resto, palmas para a creche da minha filha que está aberta em Agosto.
Deus vos abençoe e que nada vos falte nesta vida, que não há dinheiro que pague estas minhas horas de sossego e almoços sem berraria e chafurdice.

(é que a lide é dura e a criança é taliban)


quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Enquanto fui e vim

Tenho o cabelo a bater-me no soutien e pareço a Maria Madalena arrependida
Estou mais gorda dois quilos

O tempo vai mudar, que eu tenho aqui uma dor no fundo das costas que me arrepanha a perna.

Hán? Que delicia de escrito, ora digam lá!



terça-feira, 26 de julho de 2011

Post do Bikini

moças, aquilo ali em baixo da procura do bikini, como quem procura o santo graal, era a ver se alguém se chegava à frente e me dizia onde é que, no Porto e arredores, encontro bikinis feitos com materiais em condições.
sitios onde bikinis de 180€, em saldo, ainda não estjam esgotados nem escolhidos.
reparem, ainda hoje estava disposta a dar mais de 100€ por um bikini e sabem o que aconteceu?
ah e tal agora está tudo muito escolhido... já não temos tamanhos...
foda-se! bikinis de 180€, em saldos, estão escolhidos?
escolhidos por quem?
quem são essas mulas?


(ai mea culpa! mea culpa! que receber um bikini, em troca de mais de 100€ faz de mim uma tonta. e faz também com que passe o resto do mês a comer arroz com atum e massa com salsichas)

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Mais um post de elevadíssima qualidade e principalmente interesse

Se eu fosse alta e espadaúda e se fosse mais nova 10 anos, também, era assim que queria ter saído à rua, hoje...


Ou então assim, que riqueza, que amor!


com os 36 anos no pêlo e a constituição petit com que Deus me agraciou, se soubesse onde esta marca que a minha amiga Isabel diz que é Australiana, se vende, vinha assim:

 ou assim

ando estafadinha

já fiz milhas inglesas à procura dum bikini.
e como diz uma amiga minha,
agora façam com essa informação o que bem entenderem.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Muito obrigada pela vossa ajuda, vocês são do very best!



E depois desta pedinchice toda, ganharam os fantoches de pôr nos dedos, do Ikea.


segunda-feira, 11 de julho de 2011

Pela vossa rica saúde, ajudem esta pobre mãe!

Digam-me que raio meto eu dentro duns saquinhos muito lindos que eu tenho para oferecer aos meninos da escola da minha filha, no dia em que ela fizer anos.
São putos com idades entre os 4 meses e os 3 anos.
Esqueçam as goluseimas e assim, senão tenho os pais fanaticos a dizerem-me que aquilo faz cáries nos meninos e o raio que o parta...

Ajudem-me, caramba!
Já pensei nuns stikers ou coisa parecida para eles colarem onde bem entenderem, nomeadamente no chão da sala, mas não encontro nada de jeito.
Já pensei em bolachas mini, mas suja-me o saco todo de migalhas e tira a espectacularidade do mesmo.
Já pensei que podia ser uma merda qualquer para brincar, mas que fosse transversal às idades.... nem sei se há, mas tinha que caber num saco pequeno, por isso pifaros e instrumentos musicais está fora de questão.

Ai que eu estou tão aborrecida!

Depois também tenho pouco tempo para andar à procura e isso, parecendo que não, dificulta largamente a tarefa.

Agora é que eu quero ver quem realmente gosta de mim, quero.

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Para todo o mundo saber que eu também sou assim na vida real

email que enviei às pessoas, por causa da festa da minha filha.



"Pessoas:

Segue em anexo o convite para a party, tábein?
(depois hei-de mandar-vos uma senha secreta, que vocês dirão ao porteiro da festa, para poderem entrar e para ele vos carimbar os pulsos com um logotipo que só se vê com infravermelhos)
(não é nada, tou a gozar!)


Pessoas que tenham filhos,

atenção se faz favor à caixa de correio onde o carteiro põe as vossas contas da EDP, que chegará durante a próxima semana um envelope todo pipi, dirigido aos vossos piquenos.


Ah! e pela vossa rica saúde, aceitando ou não o convite que tão gentilmente vos faço, tenham vocês a gentileza de me dizer se aparecem, porque a festa é prós miudos e se não me confirmarem presenças de adultos e aparecerem na mesma, bem que comem só gomas, tá?


E era só isto,
Um grande beijo e até dia 17, se Deus quiser..."




Ainda hoje de manhã (muito de manhã) no ginasio, me dizia a minha amiga: pôrra pá, mas tu já pariste dois filhos...

e depois uma pessoa pensa: olha que bem, vou escrever sobre isso, sobre como mesmo que magras e arranjadinhas o corpo muda e nunca mais é a mesma coisa (mas que caralho, tenho 36 anos e dois filhos paridos!), mas ligamos o reader e constatamos que já ALGUÉM escreveu sobre isso e descreveu a cena em condições, e sendo assim, em vez de estar aqui a esforçar-me, com a intima convicção de nunca conseguir chegar aos calcanhares e expressar-me de maneira, sequer, parecida, opto pela solução mais digna para a minha pessoa, que é fazer copy/past do texto, com o devido link para a:
quem mais?


Voltei a caber na 38. Voltei a comprar vestidos curtos. Voltei a pesar 57 quilos. Mas não voltei ao meu corpo. Explico-me. As minha mamas, as desgraçadas, não são nem a sombra do que foram num passado glorioso, aquelas mamas soberbas que tantas alegrias me deram. Nada, uma pena, maravilhas da maternidade, do aleitamento materno e da puta da gravidade. E tenho na barriga uma bóia de banha com todo o aspecto de querer ficar-se instalada com carácter permanente, a ordinária. Ah, e as ancas alargaram. Desta não estava à espera. Nem sei que dizer em relação às minhas ancas novas, nem se gosto, se desgosto, ainda nos estamos a conhecer, dêem-nos tempo. Ou seja, tenho um corpo antigo cheio de aplicações novas. Mas, olha, estou contente. Vejo-me ao espelho dentro deste vestidinho novo que comprei a semana passada na Zara por, acho, trinta e tal euros, e acho-me gira, mesmo gira. Ora se eu marco 36 anos no BI e pari dois filhos, porque carga de água o meu corpo deveria ter 25? Sim, claro, posso matar-me a spinning e a disparatadas corridas de duas horas à volta do Retiro, puxar as mamas para cima, besuntar-me com cremes anti-idade, recachutar-me e remodelar-me, mas o meu corpo continuaria com 36 anos. Posso voltar a pagar 140 aurélios por duas aulas semanais de pilates, mas a quem quero enganar? Quero parecer a idade que tenho. Não quero ser a Demi Moore, nem a Sharon Stone, que, desculpem-me, não estão nada bem para a idade que têm porque elas odeiam (por muito que confessem às Vogues e Elles o sábias que se sentem) ser velhas, têm horror dos braços flácidos e das rugas do pescoço. E isso não é estar bem, é ser-se muito infeliz com o corpo, com o esqueleto que nos sustenta. É ser-se escravo de uma fantasia absurda. E eu não quero que essa fantasia me persiga quando fizer 40 anos e a celulite acampar alegremente nas coxas, ou quando aos 50 as minhas mãos apresentarem rugas e manchas. Não é resignação, é aprender a sorrir todos os dias quando me olho ao espelho.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Chris Martin - Ooh oooh oooh Got one eye on the road and one on you

O rapaz canta como se nada fosse. Faz da voz o que quer e cumpre no espectáculo que dá.
Gosto especialmente da maneira desengonçada como dança, de braço no ar, com aquelas t-shirts de andar por casa, todas abertas na gola, como se tivessem andado lá pendurados os filhos todos.
E gosto do baterista da banda, que lhe dá com força e sem medos. 

quarta-feira, 6 de julho de 2011

terça-feira, 28 de junho de 2011

Ontem, ía eu a subir a rua perpendicular à rua do meu escritório e ia a descer um grupo de miúdos, ou assim parecia, todos fashion, de mãos dadas com umas miudas magrinhas, todas fashion também.
eu ía a caminho de mais um julgamento dum acidente de viação, mais um, mais um que só me ocupa a mente quando estou prestes a chegar à porta do Tribunal e revejo quesitos e testemunhas a distribuir pelos quesitos e mais a base instrutória das outras partes, enfim... mais um.
os miúdos, percebi quando me cruzei com eles, eram os amigos do Angélico, o rapaz que está ás portas da morte. estão no Porto por causa do amigo.
fui a pensar o caminho todo que, realmente, só do alto dos anos em que nos sentimos imortais, é que coisas como cintos de segurança e velocidade moderada, são conceitos distantes.
 

terça-feira, 21 de junho de 2011

verde e rosa, verde e rosa, verde e rosa

ai ó pá ca lindo, ai ca lindo!
vou meter aí em baixo mais umas imagens da net.
e depois vou voltar ao registo habitual, sem imagens, muito menos das fofinhas, que já passei a pasta à menina que me trata destas coisas.
em momento posterior venho cá deixar o produto final e o contacto de quem me faz as festas mais lindas do todo o mundo, orraite?








segunda-feira, 20 de junho de 2011

Esqueci-me de dizer

Que as imagens são da net.

Primeiro ponham-se bem sentados, ok?

Tudo sentado?
Agora dos que estão sentados, xô daqui, o pessoal que sofrer de refluxo gástrico com cenas da pequenada.
Agora do pessoal que sobra, é sair sff os que ainda estão na esperança que eu esteja na galhofada, sim?

E agora, aos três ou quatro leitores que sobram, pergunto:
Tudo preparado?
Vão prosseguir então, por vossa conta e risco.

tcharan!


"inspiração para a baby fiesta, parte I"



quem quer imagens muita lindas?

Eu nem estou em mim, sabem?
É que parece que não, mas já passou quase um ano desde a primeira festa de aniversário da minha filha.
E desta feita, este Blog é bem capaz de entrar outra vez numa onda de corderosinhas e estrelinhas e bolinhos muita lindos e assim.

Sou bem capaz de introduzir neste espaço cheio de letras, umas imagens de cores fofinhas.
E vai na volta ainda cá venho meter isso tudo em posts com nomes como: "Inspiração" ou "inspiração para a baby fiesta" ou então "a minha inspiração do momento: pink!"

É que uma mulher não é de ferro e  há dias em que apetece mostrar ao mundo as mãos de fada e o gosto por coisas tão simples como pompons de papel de seda.

É isto ou não escrever aqui nadinha. porque se há coisa que eu não consigo, de momento fazer, é estar em 52 frentes ao mesmo tempo. Até à frente 50 eu ainda aguento, tudo o que vá para além disso, já é demasiado.

Então até loguinho, sim?

sexta-feira, 17 de junho de 2011

o meu marido resolve a situação infra da seguinte maneira:

"vais ao não sei quantos, arranjas o cabelo e as unhas e depois vais ao lado e fazes uma massagem tailandesa e fica tudo por minha conta"

eu por mim, encantada da vida.
sucede que, para chegar ao não sei quantos demoro umas três horas, derivado ás corridas que fecharam a av. da boavista e está um trânsito fodido,   
e três horas para lá, mais três horas para cá, mais umas três horas para tratar com a qualidade que eu mereço, da minha excelsa figura, já só cá chegava acima lá para as 11 da noite e entretanto passava a hora dum sem numero de merdas, nomeadamente imperativos profissionais e questões relacionadas com ir recolher menores de cerca de dois anos, dar-lhes banhos e comidas e essas coisas todas.
de modo que não vai poder ser.

(mas reparam no nível da coisa? cabeleireiro, manicure e massagem? à conta do marido? isto já está ao nivel dum blog daqueles com, para cima de 1500 seguidores, ou não?)


eu não vos quero incomodar com mais merdas.
já sei que a vida está complicada, que cada um tem os seus problemas e essas coisas todas.
mas pela vossa rica saúdinha, digam-me o que fazem para conseguir:
dormir em condições
trabalhar non stop 14 horas por dia
dar de comer a uma criança biqueira que só come quando e o que lhe apetece
ter tempo livre
descansar
ultrapassar com leveza e elevação de espírito as palermices da adolescencia dum filho adolescente que meteu um piercing na orelha, vai fazer provas nacionais e diz que não precisa de estudar para elas e que quando chamado à razão com violência vos passa a mão pelo ombro e vos dá um beijo no cimo da vossa cabecinha, uma vez que é mais alto que vocês um bom palmo e meio

como fazem essas merdas todas? ajudem-me. 
 



terça-feira, 31 de maio de 2011

encontrei, nas arrumações, testes do colégio antigo...

durante 14 anos fui mãe de um filho só.
um filho que é um espectáculo.
um filho que durante grande parte do seu crescimento foi um outsider, um ser com uma auto-estima miserável e ainda assim um doce, um santo, um filho do melhor que há em termos de filhos.
tentámos muito, tentámos muito fazer acontecer a mudança. tentámos de tudo
durante muito tempo, pouco ou nada conseguimos fazer acontecer.
a mudança veio com a mudança de amigos.
a mudança também veio com a adolescência, mas tenho para mim, que a adolescência do meu filho, se passada no antigo colégio e com os antigos amigos, na vez de estar a ser tragico-cómica, estaria a ser verdadeiramente trágica.
a mudança veio, principalmente, com a mudança de escola.
antes da mudança e dentro dos portões dum sitio que mensalmente me custava o equivalente a um ordenado mínimo nacional, aconteceu-lhe quase tudo.
o meu filho foi insultado
o meu filho foi esmurrado
o meu filho foi pontapeado
partiram o coração ao meu filho vezes sem conta
quem?
a instituição de ensino, os colegas mais velhos, os colegas de turma e também os pais dos colegas de turma.
porquê?
porque o meu filho não é, nem nunca foi, talhado para ser carneiro, nem marrão, nem invejoso e muito menos doentiamente competitivo.
se eu queria um filho no quadro de honra?
se calhar queria.
Mas não, ESTE meu filho.
Ele é tão mais que as putas das notas altas...

e mais, o meu filho envaidece-me. Agora, não serve é para alimentar a minha vaidade.
estou-me a cagar para essa merda dos filhos estandarte.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

e foram-se todos ao mesmo tempo, tipo quê? boicote, é isso?

seguidores:
podem ter uma certeza, eu tinha-vos em muito boa conta.
quer dizer, não vos perdoei a facada no coração daquela vez que votaram noutros blogs que não o meu e não ganhei uma grade de cervejas no concurso da Super Bock, mas isso até já eram águas passadas.
porém, verifico que nenhum, repito, nenhum de vocês está onde costuma estar, ali ao lado, à direita de deus pai.
mas como fizeram isso? mandaram pombos correios uns aos outros, combinaram uma flash mob invertida e vai de, na vez de aparecer tudo ao mesmo tempo, desaparecem todos duma vez?
pronto então.
fizeram a vossa escolha
xau para vocês.

cherridos,

hoje é sexta feira, o tempo não está mau, eu vim de sapatos rasos e calça de ganga, fui logo de manhã ao ginásio e nessa conformidade já estou toda mais que rota e agora estou com fome.

e agora quero ver como é que se comenta um texto merdoso destes, quero!

quarta-feira, 25 de maio de 2011

pah, vocês desculpem-me

mas agora que acedo a isto, por via gmail nativo, gmail por browser, gmail amarelo, gmail azul e branco, gmail  gmail touch, gmail sem ser touch, gmail terrestre e também por via aérea, ás vezes passa-me, publicar os comentários, que pessoas que são pessoas espectaculares, fazem o favor de me deixar.

Mas ninguém me avisou que isto existia, porquê, hán?


sou fán!

terça-feira, 24 de maio de 2011

como é que isto se abre? sabes como é que isto se abre?

ai por misericórdia, como é que se abre esta merda, pergunta-me ele, desesperado.
o aifoune não dá para abrir!
(isto melhora a cada minuto!)

o aifoune do meu colega de escritorio está com um esquentamento

morreu-lhe o bicho nas mãos.
pegou nele e o bicho, morto.
vai ser amanhã operado pelos obreiros que laboram sob as ordens e direcções de meu marido e que pelos vistos, fazem milagres com uns cabos e umas merdas com nome estrangeiro, acho que Americano.
em desespero, ligou o meu colega à senhora dos telefones que lhe diz que os aparelhos com a marca da maçã, de vez em quando entram em aquecimento bravo e é necessário pôr o bicho ao ar, se possível ao pé de fontes refrigeradoras.
e eu estou aqui, a gozar que nem uma pessoa de raça negra com isto tudo.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Pessoas que não são do e do Porto:

E não é que filmaram os festejos bem filmados e apareceu gente mesmo muito gira a festejar?!
E com camisolas do porto?!

Aquilo foi mesmo muito muito fixe. Até para mim que não percebo nem gosto de futebol.

Pessoas de e do Braga:

ALL MY LOVE!

Sério.
Até porque, Braga tinha a melhor quarta à noite, da década de 90.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Oh desgraça!

Dois escritórios, dois gabinetes, dois arquivos de pendentes, dois arquivos mortos, duas secretárias cheias de papelada, várias malas, um porta-moedas, várias gavetas e armários, um mundo...


um carro. 

Ah cornetas a tocar de muita alegria! 
A esperança renasce.

De encontrar no carro os papeis que desapareceram e são precisos para o IRS. 
(Ao lado de dois pares de sapatos, uns altos e uns rasos, dois cintos, um par de luvas, três ou quatro casacos de utilidade vária, desde o agasalho à gabardine, pelo menos três lenços, vários processos já findos, sacos do pingo. 
Tudo no banco de trás.)

que riquezas que amores

os filhos são a coisa mais linda.
eu tenho filhos
eu gosto muito dos meus filhos.
mas se alguém quiser ficar com o bezerrame lá de casa, uma de quase dois e um de quase 16, por cerca de 15 dias,
ESTEJA COMPLETAMENTE À VONTADE,
é mandar o nome, contacto e carta de recomendação pela caixa de comentários, que eu não aprovo e respondo por mail.
Agradecida.

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Berru

Eu tenho para mim que o facto da minha filha se expressar atabalhoadamente, faz parte dum plano que ela gizou, para dar connosco em doidos.
Podia dar aqui exemplos vários, mas fico-me por um.
O "burro", que deve ser a coisa mais fácil de se dizer quando se tem quase dois anos, é Berru.

Portanto, "berru", e nós que nos desentranhemos todos para entender o que ela diz.
E facto é, que nós damos três piruetas e algumas cambalhotas, fazemos o jogo da tentativa/erro e lá vamos perguntando, e ela acena vagamente com a cabeça até alguém acertar. Isto tudo de maneira a que no fim do dia, esteja tudo de tal maneira encostado ás boxes que até se esqueçam de a deitar a horas decentes e ela não se esforçou e ainda assim conseguiu o que queria.

Hoje, ja desesperada por não conseguir encontrar a base legal para uma coisa que eu queria dizer, mas que não é perceptível se não for dita tal e qual como deve ser, utilizei a técnica "berru".

Pensei na minha filha... Pensei nos destinatários da minha mensagem... pensei na minha vida e nas horas que são e ... Olhem destinatários: "berru"!
e agora saltos e pinotes minha gente, que eu tenho mais que fazer, nomeadamente ir comprar uns sapatos novos.

Xau e adeus.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

As coisas que me podiam acontecer, se eu tivesse um iPhone

Acidentes. De cada vez que tentasse mandar um SMS
Acidentes. De cada vez que tentasse acertar no sitio certo do ecran de toque, vulgo tatch scrin.
Frustração. Por não conseguir adquirir a técnica necessária para fazer scroll com o dedinho.

Agradecida, senhores que me fornecem os equipamentos do serviço de rede móvel, mas quero antes o do costume.

Tenho amigas com Blogs fashionistas muito mais espectaculares que os outros

A Isabel tem um Blog.
O Blog da Isabel chama-se Fashionistas World, que é como quem diz, lá dentro tem coisas da moda.
Acho o dela muito melhor que os outros.
Mesmo.

Cada um nasce para o que nasce, eu é disparates, a Isabel é gosto.

Eu sempre fui de lenços e cenas ao pescoço e isto é espectacular

Agora, é  pôr a dar o video por cima do espelho e fazer igual (MUITA MUITA MUITA BOM!)


segunda-feira, 9 de maio de 2011

Eu sei, ninguém me perguntou nada, mas isto já estava em Draft há demasiado tempo


Também eu respondo a questionários sobre livros, portanto, tomem lá e enjoy!

1. Existe um livro que lerias e relerias várias vezes?
R: Existe. E até faço mais, leio e releio. Variadíssimas vezes. Chama-se "Código Civil".
2. Existe algum livro que começaste a ler, paraste, recomeçaste, tentaste e tentaste e nunca conseguiste ler até ao fim?
R: Sim, um muito bom, mas que como está escrito em Chinês, nunca mais acabo aquela merda, o "Código de Procedimento Administrativo".
3. Se escolhesses um livro para ler para o resto da tua vida, qual seria ele?
R: Ah! Muito fácil, o "Seguro de Responsabilidade Civil Resultante da Circulação de Veículos Automóveis". O Anotado, que tem quase 2000 páginas e em letrinhas pequeninas.  É que só pode ser bom.
4. Que livro gostarias de ter lido mas que, por algum motivo, nunca leste?
R: "A Despesa Fiscal e o Orçamento do Estado no Ordenamento Jurídico Português", uma tese de Mestrado do melhor que há, mas que infelizmente, eu, por razões de estômago, não vou conseguir ler.
5. Que livro leste cuja 'cena final' jamais conseguiste esquecer?
R: "A Blindagem da Empresa Plurissocietária". A cena final foi de gritos. Os meus.
6. Tinhas o hábito de ler quando eras criança? Se lias, qual era o tipo de leitura?
R: A sério? Mesmo? Eu logo vi que não. 
7. Qual o livro que achaste chato mas ainda assim leste até ao fim? Porquê?
R: Esta é também muito fácil, "As Normas de Aplicação Imediata, no Direito Internacional Privado. Vol. I e II" Porquê? Porque não consegui copiar no primeiro exame, ora! 
8. Indica alguns dos teus livros preferidos.
R: Todos os que tenham as palavras: "formulários", "prontuário" ou "colectânea de jurisprudência" escrito na capa.


E é isto. 

E quando achamos que estamos em grande só porque fomos nós a elaborar a proposta

100.050,00, Sr. Dr.? Mas o pedido é 175.000,00. Não sei como é que chegou a esse valor, sinceramente.
Com contas de subtrair, Srª Drª. Com contas de subtrair...

(autch)

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Entre os Senhores e os Rapazes, ganharam os Senhores

Estava eu na minha vida, a apreciar a populaça no átrio e ao fim de dois minutos já estava fortemente decidida a dizer uma coisita,
Moços, olhai por favor para os Senhores com idade para serem vossos pais.
Vê-de. Atentai.
E depois ide todos fazer uma fogueira com os vossos fatinhos lustrosos, camisas coladas ao corpo e sapatos tipo ténis em bico na ponta.
Fazei isso, pela vossa rica saúde, isso e um corte de cabelo em condições.
E a barba. Fazei a barba também, que a menos que sejam mesmo muito gatos, barba por fazer é porco.

Só por causa das merdas

Digo já que onde eu estou e onde resido e de onde sou, portanto, aqui no norte, especificamente no Porto, nem todos sofrem de gravíssimos problemas de saúde oral, nem todos se expressam dificilmente, nem todos têm visiveis carências económicas e sociais. nem todos.

Ganhou o FCP, não foi? Salvé!

quinta-feira, 5 de maio de 2011

heish, que cena, meu

a adolescencia é fodida.
é fodida para os adolescentes, que são uns desgraçados e têm a galáxia a conspirar contra eles e mais um bando de terroristas aficionados do senhor que morreu prontos para explodirem mesmo ao lado deles e desgraçarem-lhes os ipodes e os telemóveis topo de gama e mais as sapatilhas de 100 euros e os laptops da Mac e as ligações à Internet e consequentemente a ligação ao mundo através das redes sociais, aliás, como se vê, está a galáxia inteira em looping, mas também é fodida para os pais, que têm de ser verdadeiramente pais, principalmente durante esta altura negra.
Isto para dizer que tenho lá um em casa, um adolescente que não está mal com a vida, é a vida que está mal com ele e agora está em guerra aberta comigo, essa grande pedra no seu sapato tamanho 44.
Eu juro que ainda me lembro de ser adolescente e nessa altura, como agora em certas ocasiões, gerava-se toda uma conjuntura a nível mundial, para me desgraçar a vida. Isto posto, compreendo muito bem as dores  que sente o adolescente.
Porém...
Quem é a mãe agora sou eu! muahahahaha
E enquanto eu mandar, quem manda sou eu.
E para além de mandar, tenho direito supremo, que veio a mim  por via do cordão umbilical e dos nove meses inteiros que o carreguei e mais os pés inchados e os açúcares elevados e essas coisas todas, de contraria-lo e ás vezes até, ser um bocado má.
Fiz um comentário jocoso acerca do nome da miuda que tira o sono ao adolescente e fui apelidada de snob, beta, preconceituosa, com juras de ódio eterno...
Eu quero ver quando for uma coisa mesmo à séria, uma coisa mesmo à mãe, quero...

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Afemaria!

Há alturas na vida duma jovem adulta que são negras.
Aqui chegados, cumpre-me informar que estou com um humor pior do que o dum cão.

Não. Não foi desta... ainda.

Não foi birra.
Era a sério, mas agora apetece-me outra vez.

Não vou aprovar os comentários de quem me pediu pelos anjos e santos para eu ficar.
Vocês sabem quem são, meus grandes queridos! Avé!

Até já.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

acho que é luz, ali ao fundooooo

Estou em crise.
Eu sei, eu sei, está tudo em crise, mas com pimenta no cú dos outros posso eu bem, por isso, eu é que estou em crise.

Ninguém me liga, ninguém me linka, ninguém me telefona a oferecer produtos para eu depois fazer concursos e fingir que dou aos leitores, mas na verdade fico com eles para mim, cansei!

E por isso, este será o ultimo post deste Blog.


Foi muito bom, mas agora chega, não é?

A sério, a sério,

Eu vi o BOP 2, ou Tropa de Elite 2 ou lá o que é, que não tenho tempo de ir googlar sobre isso.
E só tenho uma palavra:

Wagner


E só tenho uma palavra porque não me lembro do outro nome do actor principaaaal, senão, tinha duas.

Coboiada

Primeiro vozes alteradas e eu ai quié isto?
Depois vozes alteradas e barulho de cadeiras a arrastar e eu ai quié isto?...
Depois gritos e muita gente ao barulho e eu ai quié isto?...
Fui ver e era porrada no café aqui ao lado, ainda consegui ver uns empurrões.

Depois chegou a Guarda com a sirene aos gritos e lixou tudo.
Calaram-se todos e eu vim escrever este post.

Se eu quisesse anunciar este Blog na rádio

Contratava o Miguel Guilherme.
"consomes-me..."

Muito Fixe

"Quem tenha aterrado neste país nas últimas semanas e começasse a ler os jornais e a ver as televisões, haveria de achar, sem qualquer dúvida, que o governo é alemão, a vida social é a da família real inglesa, o campeonato de futebol é o espanhol e este blog é italiano. Entretanto, o cinema continua americano, o croissant ainda se diz à francesa, a ganza permanece marroquina, as lojas dos chineses mantêm-se chinesas e os melhores rabos que se vêem na rua ainda são os das brasileiras. Continuamos, portanto, a descobrir o mundo como da primeira vez, como há seiscentos anos. Acho isto bonito. Terno. Ternurento. Vazio de identidade própria, mas cheio. Cheio, então?!"

Só não concordo com a cena dos rabos das brasileiras, de resto, era tudo o que eu diria, se tivesse veia para a escrita corridinha.

Confetis, serpentinas, musiquinha angelical e a realidade que matou o sonho



há dois anos, aquando da noticia "é uma menina!"


Dias de hoje e o que me saiu na realidade:

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Quanto mais ouço o tempo de antena do canal um

mais vontade tenho de cá por as fotos dos meus óculos e sua entourage!

cá vai:
Preto e doirado!

E tem Luxe escrito, requisito essencial para a escolha,

ê boilá!

São muita muita muita giros, mas agora estamos tesos.
Por isso, adeuzinho, que eu vou ali comer uma garfada da lata de atum.
Quê, bifes? Quê, Peixinho grelhado? Quê, jantar fora?
Lata de atum. uma. até ao final da semana.

E aqui, tudo porreirinho!

Portanto, de tarde já não choveu, mas ainda assim, a minha temperatura corporal não me permitiu fazer a figurinha triste e acabada de me lançar imediatamente para cima duma toalha de praia, com a areia ainda molhada.

O que fizeste então, criatura faminta?

Oh! Trabalhei.


Continuei no meu regime de fome negra. (não havia corpos danone, tive de mamar destes que não gosto)


Fumei.


Fui várias vezes à varanda, para constatar a triste realidade que o céu continua neste estado vergonhoso


Fiz este post tão lindo, cheio de fotusssss, que me deu uma trabalheira louca e que me fez entender duma vez por todas porque é que os meus posts só têm letras,

E agora diz que vai dar o Benfica/Porto, não é?
Conto não ver.

se souberem, é dizer-me por favor, que eu já me fartei de Googlar e não encontro

um sitio para adquirir e depois exibir, um orgulhoso bronzeado artificial.
Local: Vila Moura - Algarve

Eu sei que cuspi na cruz e estamos em Páscoa, deve ser disso...

No sábado passado, na Optica da Fábrica, depois de um namoro rápido (cerca de 10 minutos), mas fruto de um amor à primeira vista daqueles mesmo arrebatadores, os óculos de sol que tenho aqui à minha beirinha, casaram com o dinheiro do meu marido [ aqui colocar o adjectivo mais espectacular que consigam lembrar-se para descrever um marido ].
Mas a história tem uma tendência fodida para se repetir. E agora me lembro que da outra vez, em Janeiro de 2009, foi igual.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Eu não sei se é aos Senhores do FMI que tem de se pedir, mas já agora:

Policiais e detectores de metais à porta de todo o Tribunal deste país, província incluída, eram precisos.
É que as pessoas saírem sem nódoas negras e vivas da Casa da Justiça, era assim uma coisa, vamos lá ver, muito boa, mesmo.

(Eu fiz bem, mandei-me para dentro da secretaria judicial e em 2 milésimos de segundos arquitectei toda uma estratégia de fuga, com direito a plano A, B, C, D, E e F. Se nenhuma destas resultasse, atirava-me da janela, que era só um primeiro andar baixinho. Antes as pernas todas partidas, do que toda mortinha.)

quarta-feira, 13 de abril de 2011

e um diálogo pucibél:

- Tou, Almarindo? Olha, é pra te dizere pra ires cumprar u remédio du Escarvelho a Sinfais, quié ondelé boum

- Tá bém.

- E olha, diz au Quelaudiu que aquela gaija, a Faramsisca, anda mazé com u Mikaiele… quem me disse foi a Questina. Támem, num sei u quéla biu naquele Pastele, é um puto dum Morrosole!

Auto de leitura de memória

portanto, do auto de leitura dum certo e determinado cartão de memória, chegaram-me à mão, em formato de listagem, umas cenas formidáveis, vindas dum individuo que, como se verá, escreve como fala.
e isto dito, cá vai um relambório muito lindo dos nomes que o senhor tão bem gravou no seu semartefóne:


Almarindo
Escarvelho
Sinfais (este precisa de tradução: Cinfães)
Brunu
Faramsisca
Fermandu
Juana
Pastele
Questina
Manele
Patrisia
Quelaudiu
Zecarlus
Rafaele
Siganu
Sufia
Urelhas
Kostantinu
Mikaiele
Morrosole
Zemanele

E que tal?
Brutal, ou não?

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Eu já sei que há umas que fazem o rabo rijo

Mas eu queria era estas, que são tão lindas...
Esqueçam se acham mesmo que eu vou escrever uma linha que seja sobre a crise, éfémi, péque, eleições, terramotos e isso.
Mas sobre isto...
Bom, sobre isto, tenho a dizer que é bem capaz de ser o meu maior receio. um dia chegar à escola de um deles e ser a mulher aos gritos.
Um terror.

Faz de conta

Ora vamos lá fingir que eu não deixei de cá escrever há mais de um mês, sim?
Vamos lá fingir que tenho postado numa base diária.
Assim poupa-me o texto do regresso.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Os comentarios perdidos,

pois é, estou muito triste.
uma pessoa mata-se a trabalhar, vive durante dois meses em hoteis e deslocada de tudo e todos, não escreve no Blogue e o que recebe?
nada.

eu bem queria que fosse diferente, mas não é, eu sou uma pessoa insatisfeita por natureza

quero o que não tenho e quando tenho o que queria e não tinha, quero mais.
uma amiga minha costuma dizer que só deseja aquilo que pode ter
eu não.
eu quero tudo o que não posso e também quero o que os outros têm, uma cena deplorável, mas é assim a vida e de maneiras que é isto.
nesta conformidade, hoje apetecia-me ter:

 Gucci - um balurdio



Chloe - outro balurdio

Ray Ban - possiveis de adquirir sem ter de passar fome



E pronto, agora que tive os meus 5 minutos de gaja, posso voltar à minha forma real e vou trabalhar, mazé.



domingo, 20 de fevereiro de 2011

Sou de gostos simples, é certo, mas em contrapartida...

...na sexta feira, depois de três dias in-tei-ros à espera de vez e a assistir a verdadeiras palestras tipo a do Pedro aos peixes, cheguei a casa esmagada de admiração pelas alegações de quase três horas dum senhor que fez um brilharete.
um puto dum brilharete tal, que ninguém mas ninguém se levantou do lugar enquanto o senhor esteve a usar da palavra.
sim, é certo que agora, a frio, a retorica e a empolgação do momento, fizeram-nos, a nós profissionais, esquecer a substancia e o rigor jurídico.
mas sinceramente, até me estou positivamente a lixar, é que aquilo foi do outro mundo.
a sério.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

As saudades que eu já tinha...

páh, eu tinha que vir aqui dizer isto, senão ainda me cresciam aquelas coisas entre os dedos das mãos que tinha o homem da atlantida....

eu sou uma rapariga de acção. não no tipo Tomb Rider de acção, mas no sentido profissional da cena.
isto quer dizer que não sou profissional dotada de capacidades, que eu considero de elevadíssima importância e ainda mais elevadíssima nobreza, que são as capacidades de ficar enfiada no escritório só a escrever, a estudar, a ler, a estudar outra vez e a ler e por aí fora.
não sou. eu sou uma rapariga que aprecia uma boa lide, aprecio litigar.

sucede que desde dia 4 de Janeiro passado, que tenho estado encerrada, quase cinco dias por semana, numa sala, com mais uma quantidade considerável de senhores que fazem o mesmo que eu, um senhor que defende a baliza e três senhores que só jogam ao ataque.

e esta freima tem sido levada a cabo na capital do império, que é como quem diz, já nem consigo com o cheiro do hotel que tem sido a minha casa neste ultimo mês e meio.

e nisto tudo, apesar de ser uma lide temerária, é uma lide, que em virtude da estratégia da defesa, me faz estar muda e queda toooodo o saaaanto dia. só a ouvir, a indignar-me, a tirar apontamentos, a indignar-me outra vez e de vez em quando lá me sai um comentário de indignação em sussurro, porque, como disse, a táctica é deixá-los poisar.

desta forma, todos os meus julgamentos e lides duras, têm sido, ou adiados, ou levados a cabo por colegas, que muito me têm feito bem e a quem muito humildemente agradeço e não esqueço de oferecer qualquer coisinha, quando cobrar os honorários que me competem.

mas eis que na quinta feira subi as escadas do tribunal de toga na mão, sem Ipad, com um processo cheio de folhas e despachos e postites e nada disse digitalizado, tudo ali, como manda o figurino de antigamente!
(no sitio onde tenho passado os meus dias, estamos dispensados do uso da toga e como os volumes do processo ascendem a um numero tão elevado, temos de ter tudo digitalizadinho no Ipad, maravilha da tecnologia, muito em voga entre os parceiros desta freima)

e como estava dizendo, na quinta feira passada fui fazer um julgamento.
Aaahhhhhhh!
A maravilha das inquirições, a maravilha das indignações da parte contraria, a maravilha das alegações finais, a maravilha disto tudo.

tão bom. soube-me tão bem...
era um processo pobrezinho, sem intervenientes processuais com nomes conhecidos, nem advogados de firmas com nomes impronunciaveis, dum crime que não implica sequer a intervenção dum tribunal colectivo, mas senti-me tão aconchegadinha, que até parecia que estava em casa.
uma mantinha nas pernas e estava tudo perfeito.
a bem da verdade, sou uma rapariga de gostos simples...


(em relação ao eis/heis: anónimo, tens toda a razão, devia estar bebada, ou assim)




sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Relato de um treino com PT

pessoas!
isto é bestial!
dois treinos e já me sinto como peixe na água.
aliás, só de calçar os ténis já fico toda extraordinária.

O que não gosto:
as gajas a passearem-se nuas pelo balneário.
a pentearem-se todas nuas, a pintarem-se todas nuas...
isso não gosto.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Adidas

já tenho prometida metade da colecção primavera/verão.
já ca canta, quer dizer, vai cantar na mala do carro por volta das 18.00h, quase toda a colecção outono/inverno.

eu tenho amigas muito boas.
boas e gastadoras.
boas, gastadoras e altas esferas da public relations, partenerships e networking.

Diário de um treino personalizado

Bom, então é assim:
Depois de um questionário exaustivo, que mais parecia uma consulta de psicanálise, siga para cima dumas máquinas que, nunca entendi como, conseguem ler-nos por dentro.

diagnóstico:
ancas e abdómen, para trabalhar.
massa muscular óptima! (jura?! como?! WTF?!)
nada de retenção de liquidos, nem outras cenas manhosas;
"corpo muito bom para trabalhar" PT dixit;
fibras e fruta, muita fruta;
treino tres vezes por semana;
diz que me poe dura em mês e meio!

começa amanhã, ás 8.30.

"esteja cá ás 8.30. equipada. estou à porta à sua espera."

oh God!
tudo o que eu queria e mais além!

pergunta: o que é que eu visto?
help, please!

yeeeesssssss

o meu PT disse que toda eu sou potencial!
olarilas!
E joaninha ficas a saber que eu não vou fazer coaching com o PT para emagrecer, é mesmo para endurecer tudo e mais alguma coisa e ficar aí com umas pernas daquelas de cinema!

O vestido preto

mas porque é que eu ainda insisto em vesti-lo?
já tinha corrido mal, certo?
é de mim ou o filhodaputa do vestido me desgraça a vida?

o que vale é que com a ajuda do PT eu vou ficar tão boa, tão boa, mas tãaaaaao bouuuuaaa, que nem preciso de vestido preto nenhum, a dar-me a volta ao corpo.
amarro um trapito qualquer e estou pronta!

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

chegados aqui:

tenho a dizer que sábado foi para mim, a noite de passagem de ano.
jantar e copos com amigas que não dão descanso à minha pele, resultou em várias resoluções.
nenhuma envolve deixar de fumar, que eu não chego a esse ponto de degradação humana.
levanto só a ponta do véu:
amanhã, ás 10.30, tenho marcada a avaliação com um personal trainer, de renome, que em meia duzia de meses me vai transformar nisto:



(pernas e braços de marmore, gluteos férreos (expressão roubada à Rititi), ventre e peito de cair pro lado)

Sofreeeeeeeer. É fazer sofrer o corpo, para apaziguar o espirito.